O excesso de oferta de capacidade e a deterioração dos fretes está a motivar um abate de graneleiros Capesize (quase) sem precedentes, regista a BIMCO.

Capesize

Nem só o transporte marítimo de contentores sofre com o excesso de capacidade, e a baixa dos preços dos transportes. Também o transporte marítimo de granéis sólidos atravessa um momento difícil.

Os armadores enviaram 52 navios graneleiros Capesize para abate entre Janeiro e Abril. De acordo com os dados da organização BIMCO, caso aquele ritmo se mantenha no resto do ano, será duplicado o recorde anual de 70 navios desmantelados, registado em 2012.

Os 52 navios enviados para a sucata nos primeiros quatro meses de 2015 equivalem a cerca de 3,2% da frota mundial de navios Capesize, composta por 1 639 navios.

A capacidade agregada dos navios abatidos é de 7,8 milhões de toneladas (considerando que em média um Capesize pode transportar 150 mil toneladas).

O elevado número de navios abatidos no primeiro quadrimestre do presente exercício tem como justificação as baixas taxas de ocupação e a descida do preço dos fretes. Por exemplo, o transporte de minério de ferro entre o porto de Tubarão (em Santa Catarina, no Brasil) e Roterdão baixou de 14 dólares (12,5 euros) por tonelada, em Novembro de 2014, para cinco dólares (4,5 euros) / tonelada no corrente mês de Maio. Outro exemplo: o transporte de granéis sólidos entre a África do Sul (Richard Bay) e Roterdão, que em Outubro do ano passado era pago a mais de 12 dólares/toneladas, este ano ainda não chegou sequer aos cinco dólares.

 

 

 

 

Tags:

Comments are closed.