A Associação de Armadores da Comunidade Europeia (ECSA, em inglês) congratula-se com as recentes decisões da Comissão Europeia de rever a Directiva de Formalidades de Declarações e trabalhar numa Janela Única Marítima Europeia. Essas opções de Bruxelas podem, acreditam os armadores, abrir caminho para o mercado único do transporte marítimo.

Porto de Lisboa

A Comissão Europeia está a analisar não só se deve harmonizar e simplificar o relatório das obrigações de informação relacionadas com os navios, mas também aperfeiçoar os relatórios aduaneiros.

“A ECSA apoia plenamente esta revisão e solicita um projecto ambicioso. Escusado será dizer que queremos que os relatórios aduaneiros também façam parte disso. Somente deste modo o transporte pode, finalmente, aproveitar o mercado único”, indica, em comunicado, o secretário-geral da ECSA, Martin Dorsman.

“Um ambicioso ambiente de Janela Única Marítima Europeia poderá acabar com toda a carga de trabalho administrativo que, actualmente, é um fardo pesado e desnecessário para os marítimos e funcionários das companhias”, acrescentou Dorsman.

O mercado único é um elemento central da agenda de crescimento da UE. No entanto, este mercado único permanece incompleto e disfuncional em alguns sectores. De acordo com a ECSA, isso é particularmente sentido no transporte marítimo de mercadorias.

Embora a Directiva de Formalidades de Declarações visasse simplificar e harmonizar os relatórios, o resultado final foi, indicam desde o sector, o oposto. A ECSA indica que, hoje, os marítimos e os restantes colaboradores das companhias do sector enfrentam um ainda maior volume de trabalho administrativo. Isso resulta, de acordo com a associação, em stress adicional para os marítimos, diminuição da satisfação no trabalho e perdas de produtividade.

 

 

Comments are closed.