Nos últimos cinco anos, os armadores gregos foram determinantes a substituírem as companhias alemãs (as companhias KG) no financiamento da indústria do transporte marítimo de contentores, sublinha a Alphaliner.

costamare

Desde 2005, os armadores gregos praticamente duplicaram a sua quota na frota mundial de navios porta-contentores, tendo passado de 5,8% para 10%, com 438 navios e 1,92 milhões de TEU.

A frota controlada pelas companhias gregas é a segunda maior do mundo, só superado pela alemã (com uma quota de 26%) e à frente da Dinamarca (com 9%), China (8%), Japão (7%), Suiça e Singapura, ambos com 6%.

A importância do armamento grego torna-se anda maior, destaca a Alphainer, quando se consideram apenas os armadores que não operam os seus próprios navios (os NOO, na terminologia inglesa). Nesse caso, a quota dos gregos dispara para os 20,1% (10,3% há cinco anos).

A Alphaliner refere que quando o sistema alemão de financiamento do shipping entrou em dificuldades os gregos souberam ser uma alternativa, investindo também em nome de fundos de investimento, capitais de risco e investidores institucionais internacionais.

O peso dos armadores gregos no sector do transporte marítimo de contentores pode ser ainda avaliado pelas suas encomendas de navios. Aí detêm uma quota de 11%, só superados pela China (com 24%) e Japão (16%).

Os maiores armadores helénicos no sector são, de acordo com Alphaliner, a Danaos e a Costamare, ambos com cerca de 300 mil TEU (sendo qua a Costamare tem ainda encomendados navios com cerca de 100 mil).

Comments are closed.