O escoamento do carvão de Moatize pela linha do Sena terá início apenas em Setembro e não em Julho como inicialmente previsto, afirmou o ministro dos Transportes e Comunicações de Moçambique.

Continua o “folhetim” da recuperação da linha férrea do Sena, essencial para o escoamento do carvão extraído na região moçambicana de Tete. Em declarações a “O País”, Paulo Zucula disse que o novo adiamento fica a dever-se às obras em curso para a rectificação de alguns erros na reconstrução da via, obras essas que deverão ficar concluídas em Setembro.

A recuperação da linha de Tete foi entregue a um consórcio de duas empresas indianas. Mas as obras atrasaram-se cerca de 18 meses e não foram realizadas de acordo com o caderno de encargos. O que levou o governo de Moçambique a denunciar o contrato de concessão.

Segundo Paulo Zucula, as autoridades de Moçambique procuram agora outros parceiros para dar continuidade ao projecto de reconstrução da linha ferroviária do Sena.

Enquanto isso, as empresas envolvidas na exploração do carvão de Tete procuram alternativas para escoar a sua produção para os mercados internacionais. A Vale vai investir na construção de uma linha férrea de ligação ao corredor do Nacala e a Riversdale propõe-se melhorar as condições de navegabilidade do rio Zambeze para a passagem de barcaçar rebocadas até ao oceano.

Comments are closed.