Em vez de lucros, prejuízos. A ONE, que agrega as operações de transporte de contentores da MOL, K Line e NYK, reviu (muito) em baixa a previsão de resultados para o primeiro semestre de operações.

ONE registou perdas em vez de lucros

No primeiro trimestre (iniciado em Abril), a ONE registou perdas de 120 milhões de dólares, com isso afectando negativamente os resultados das suas accionistas. Precisamente ao contrário do que era suposto quando foi criada.

A culpa, todos os reconhecem, foi de um arranque de operações desastrado, que provocou uma quebra nos volumes transportados e da confiança nos clientes.

A K Line foi a companhia mais castigada nos seus resultados, seguida da NYK e da MOL. Todas viram os seus resultados operacionais cair, com as perdas no negócio do transporte de contentores.

As dificuldades iniciais estarão a ser ultrapassadas mas, dizem os analistas, agora a ONE tem contra si o aumento dos custos do combustível numa altura em que tem de correr atrás do prejuízo, para recuperar clientes e volumes.

Num reconhecimento explícito das dificuldades, a ONE prevê agora registar perdas de 38 milhões de dólares no primeiro semestre, que contrastam com os lucros de 107 milhões projectados inicialmente.

 

Os comentários estão encerrados.