Mais de 40 associações e organizações europeias dos transportes e logística apelaram ao reforço do Mecanismo Interligar Europa (CEF II) para o período 2021-2027.

O novo orçamento será definido no âmbito das negociações do quadro plurianual financeiro, que arrancam em breve, tendo o Parlamento Europeu solicitado um valor reforçado de 33,51 mil milhões de euros (37,76 mil milhões a preços actuais) para os transportes no âmbito do CEF II.

Desde a ESPO, uma das associações signatárias do apelo, lembram que a conclusão da rede principal da RTE-T até 2030 e, ao mesmo tempo, o avançar para um sistema de transporte verdadeiramente verde, neutro em termos de impacto para o ambiente, integrado e digital exige grandes investimentos e financiamento.

A ESPO  dá nota do estudo que encomendou que indica necessidades de investimento nos portos europeus de cerca de 48 mil milhões de euros no período 2018-2027. Também mostra que as autoridades portuárias só conseguiram obter 4% dos apoios públicos nos últimos quatro anos.

“O sector dos transportes enfrenta grandes desafios em termos de descarbonização e digitalização. Esses desafios precisam de ser enfrentados se queremos continuar a garantir a conectividade na Europa e, assim, o bom funcionamento do mercado interno. Os portos marítimos europeus precisam investir de forma a continuarem com o desenvolvimento de última geração e a cumprirem o seu papel multifuncional como gateways de comércio, hubs multimodais, pólos de energia e clusters de indústria e economia azul. O CEF é fundamental para preparar os portos da Europa para o futuro”, indica, no comunicado, a secretária-geral da ESPO, Isabelle Ryckbost.

 

 

Comments are closed.