A Atlânticoline vai contratar a construção de um navio para substituir o “Mestre Simão”, que no início do ano encalhou no porto da Madalena do Pico, nos Açores, e que agora foi dado como perdido.

“Foi desenvolvida pelas seguradoras um trabalho de avaliação ao estado do navio e uma ponderação dos passos seguintes. E, nessa avaliação, as seguradoras concluíram que não é viável recuperar o “Mestre Simão”, tendo-o dado como perdido”, afirmou a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas, Ana Cunha, numa conferência de imprensa conjunta com o presidente do conselho de administração da Atlânticoline, Carlos Faias.

Perante este cenário, a governante acrescentou que a administração da Atlânticoline, com a concordância do Governo dos Açores, optou por promover de imediato a construção de uma nova embarcação similar ao “Mestre Simão”.

O custo da nova construção será financiado pela indemnização de 9,2 milhões de euros que a Atlânticoline deverá receber pela perda do navio sinistrado. O novo navio deverá estar operacional no último trimestre de 2019.

O navio “Mestre Simão” fazia a ligação entre Faial e Pico e encalhou a 6 de Janeiro, com 70 pessoas a bordo, mas sem registo de feridos.

Na segunda-feira passada, o capitão do porto da Horta confirmou à “Lusa” que “já não há combustível” dentro do “Mestre Simão”, faltando retirar “cerca de dois mil litros de óleos” da embarcação.

Comments are closed.