Os transportadores rodoviários de passageiros vão beneficiar de descontos nas portagens, tal como os das mercadorias. E os descontos vão aumentar.

Descontos nas portagens alargados e aumentados

A ministra da Coesão Territorial anunciou hoje, em Macedo de Cavaleiros, descontos nas portagens de sete auto-estradas a partir do terceiro trimestre do ano para os “utilizadores frequentes”.

“Vai ser posto em prática no terceiro trimestre deste ano. Estamos a falar de um desconto de quantidade para os veículos classe 1 e classe 2”, afirmou Ana Abrunhosa, à margem de uma visita no âmbito da iniciativa “Governo mais próximo”, no distrito de Bragança.

A governante disse que o modelo a aplicar “já está consensualizado entre os ministérios das Infraestruturas e Habitação, das Finanças e da Coesão Territorial”.

Ana Abrunhosa explicou que se trata de “um desconto de quantidades”, exemplificando que a “partir do oitavo dia até ao 15.º dia haverá um desconto de 20% e a partir do 16.º dia até ao final do mês será um descontos de 40%”.

“Isto é para utilizadores frequentes, isto significa um acesso universal, automático, basta ter o dispositivo electrónico, não exige qualquer burocracia para se ter acesso”, referiu. Até agora, acrescentou, a burocracia “impedia muitas pessoas de terem acesso aos descontos que já existiam”.

Nas auto-estradas A4, A24, A28, A25, A23, A13 e A22, antigas SCUT, já eram aplicados descontos e estes foram, segundo a ministra, “harmonizados e aumentados”.

Segundo Ana Abrunhosa, estes descontos beneficiarão os residentes ou os que se deslocam frequentemente às regiões, por razões de actividade económica ou mesmo de turismo.

Relativamente ao transporte de mercadorias, os descontos vão ser aumentados dos 30% para os 35%, de dia, e de 50% para 55% à noite.

A ministra anunciou ainda um desconto para os transportes de passageiros, que até agora não existiam e que passam a ser iguais às percentagens dos transportes de mercadorias. O objectivo é, frisou, “estimular o uso do transporte colectivo em detrimento do transporte individual”.

“É um exercício que queremos continuar a acentuar nos próximos orçamentos, de redução das portagens, porque estamos a falar de vias que no passado não tinham portagens e que agora têm. Quereríamos também trabalhar no futuro a questão do fim de semana, mas consideramos que é já um primeiro passo muito positivo”, sublinhou.

Neste momento, segundo Ana Abrunhosa, estão a ser tratados os procedimentos burocráticos relacionados com as parcerias público-privadas e a ser trabalhado o algoritmo da Via Verde.

 

Comments are closed.