O grupo Volkswagen prevê investir 200 milhões de euros na Autoeuropa, em Palmela, no próximo ano. O desejado terminal ferroviário custará cerca de dez milhões.

A ideia é evitar o recurso ao transporte rodoviário nas ligações entre a fábrica de Palmela e a plataforma ferroviária de Bobadela. E com isso poupar entre 25 e 30 euros num custo total de transporte de 210 euros por veículo, avança o “Público”.

A criação de um terminal ferroviário junto à Autoeuropa implicará um investimento de 10 a 11 milhões de euros. O plano de investimentos da VW para a unidade portuguesa (que hoje comemorou os 20 anos da “primeira pedra”), atinge os 200 milhões de euros. Mas não é seguro que inclua já aquela infra-estrutura.

Tal como o TRANSPORTES & NEGÓCIOS avançou em primeira mão, a 21 de Janeiro arrancará o serviço regular semanal entre Portugal e a Alemanha, com um comboio em cada sentido. O serviço é da responsabilidade da DB Schenker Transitários e operado em Portugal pela CP Carga.

Os dois “pilotos” entretanto realizados permitiram “limar arestas” e verificar a disponibilidade dos carregadores para testarem a ferrovia. Mas ainda não foi possível encher o comboio à partida da Alemanha.

Se tudo correr como planeado, e como adiantou Jorge Carvalho, director comercial da DB Schenker ao TRANSPORTE& & NEGÓCIOS, em meados do próximo ano será lançada uma segunda ligação semanal. E é com isso que a Autoeuropa contará para reduzir os seus custos logísticos.

Sublinhe-se, entretanto, que na exportação dos veículos novos a Autoeuropa já conseguiu uma importante economia de custos com o arranque das ligações regulares entre o porto de Setúbal e a China, asseguradas pela NYK Line, que permitem à unidade de Palmela expedir directamente os veículos sem passagem pelo Norte da Europa, com as poupanças em tempo e dinheiro daí decorrentes.

Comments are closed.