António Mendonça garante que “não há nenhuma alteração” ao projecto do TGV, embora o programa eleitoral do PS, ontem apresentado, não faça referência à obra.

“Não aparece nem deixa de aparecer no programa eleitoral. Não sou a pessoa mais indicada para fazer comentários a esse respeito. Não há nenhuma alteração relativamente ao que é do conhecimento público sobre esse projecto [do TGV]”, afirmou o ministro das Obras Públicas aos jornalistas, à margem da inauguração do novo cais de cruzeiros de Leixões.

Questionado sobre se o projecto do TGV “não caiu”, o ministro insistiu que “não há nada de novo que mereça ser dito”.

“Não tenho nada de novo a dizer para além do que já é conhecido publicamente sobre os custos, os benefícios e a importância para a economia do País de uma obra dessa natureza”, frisou.

De acordo com António Mendonça, o contrato do troço de Alta Velocidade ferroviária Poceirão-Caia “está no Tribunal de Contas (TC) para apreciação em termos do visto prévio”, pelo que o Governo aguarda “com toda a serenidade a apreciação” que aquele organismo fizer.

António Mendonça referiu ainda que o TC pediu um segundo esclarecimento sobre o processo.

“Tivemos oportunidade de, numa primeira fase, responder a esclarecimentos. Sei que entretanto há mais pedidos de esclarecimento. Ainda não tive oportunidade de os ver, iremos seguramente fazê-lo dentro do tempo para fazer isso. A nossa disponibilidade é para colaborar e esclarecer tudo o que há para esclarecer”, referiu.

O programa eleitoral do PS, ontem apresentado por José Sócrates, não faz nenhuma menção expressa à Alta Velocidade. Mas nas sucessivas entrevistas que tem dado o primeiro ministro em exercício tem insistido em que pelo menos o troço POceirão-Caia é para avançar de imediato porquanto já tem o financiamento garantido e a taxas de juro bastante atractivas.

Comments are closed.