A Comissão da Concorrência britânica confirmou a decisão de obrigar a BAA a vender os aeroporto de Stansted e de Glasgoiw ou Edimburgo. A concessionária mantém a intenção de resistir.

De acordo com a última decisão da Concorrência, a BAA deverá iniciar o processo de venda de Stansted no prazo máximo de três meses. O prazo para a alienação de um dos dois aeroportos escoceses também detidos pela BAA não é conhecido mas deverá ser inferior aos dois anos fixados na primeira decisão.

A BAA, que tem conseguido atrasar o processo recorrendo a múltiplos expedientes legais, ainda não se dá por vencida. “Temos a responsabilidade de proteger os investimentos dos nossos accionistas, e iremos considerar agora a revisão judicial da decisão da Comissão de Concorrência”, disse um responsável da companhia, citado no “FT”.

A concessionária, controlada pela espanhola Ferrovial, sustenta que o sector mudou muito desde Março de 2009, quando foi tomada a primeira decisão que impunha a alienação de activos para fomentar a concorrência. No entretanto, em Dezembro de 2009, alienou o aeroporto londrino de Gatwick.

A Comissão da Concorrência, pelo seu lado, espera que as vendas dos dois aeroportos prossigam sem mais atrasos, para que os passageiros e as companhias aéreas possam beneficiar da acrescida concorrência. Algo que já puderam “provar” com a passagem de Gatwick para o controlo de um consórcio liderado pela GIP.

Os comentários estão encerrados.