Os portos espanhóis cresceram 7% nos primeiros quatro meses do ano, com Barcelona e o tráfego de contentores a marcarem o ritmo.

Entre Janeiro e Abril, os portos do país vizinho movimentaram 179,1 milhões de toneladas, mais 11 milhões que no período homólogo de 2017.

A subir 9,4%, até aos 61,8 milhões de toneladas, a carga contentorizada continua a ser o principal motor da actividade.  De resto, todos os segmentos estão em alta. Os granéis líquidos somam 59,9 milhões de toneladas (mais 4,8%), os granéis sólidos 32,9 milhões (mais 6,5%) e a carga fraccionada 24,4 milhões (mais 6,8%).

Entre os principais portos, Barcelona continua a destacar-se. Cresceu 18,3% e chegou, no final de Abril, aos 21,4 milhões de toneladas. E com isso ficou ainda mais perto de Valência, o número dois no ranking, que no quadrimestre fez 24 milhões de toneladas, praticamente o mesmo (mais 0,9%) de há um ano.

Na frente segue Algeciras, com 34,2 milhões, a crescer 11,2% face a um 2017 que foi particularmente difícil.

Olhando para todos os portos, Motril foi o que cresceu mais no período em análise (39% para 993 mil toneladas), enquanto Melilla foi o grande perdedor (23% para 285 mil).

Mais 20% de TEU em Barcelona

No primeiro quadrimestre, o tráfego de contentores subiu 10,5% e atingiu os 5,4 milhões de TEU.

Barcelona continuou o sprint do ano passado e avançou 20,4%, com isso superando a fasquia do milhão de TEU (1,06).

Valência, mesmo a crescer apenas 4,8% manteve o primeiro lugar no ranking, com 1,6 milhões de TEU. Mas tem Algeciras cada vez mais perto, com uma subida homóloga de 89,2% e um total de 1,5 milhões de TEU. Las Palmas segue-se no ranking do país vizinho, com 388,7 mil TEU acumulados nos quatro meses (mais 14,6%).

 

This article has 1 comment

  1. O porto de Sines, antes desta ministra do mar a eng ana paula vitorino tomar posse há 3 anos, sonhava em alcançar o porto de Barcelona em movimento de TEU mas a desgovernação deste PS desfez o sonho, eles crescem cada vez mais e nós descemos cada vez + ! Infelizmente estamos cada vez mais afastados e tudo pela razão de a MINISTRA DO MAR ANA PAULA NÃO CONSEGUIR RENEGOCIAR AS 3 CONCESSÕES : Sines, Lisboa & Setúbal e Leixões & Aveiro, a senhora não consegue entender que os concessionários só investem se tiverem mais tempo para recuperar os enormes investimentos que são necessários para ser competitivo à escala ibérica e europeia e mundial, alguém explica isto à ministra !? Lá fora as extensões dos prazos são de 20, 30 anos quer dizer +- 5 anos não serve para nada percebe !?