A Câmara Municipal de Barcelona vai solicitar ao aeroporto de El Prat um plano de redução de emissões e a eliminação das rotas que têm alternativa ferroviária, entre as quais a ponte aérea com Madrid.

O anúncio foi feito pelo conselheiro de emergência climática da autarquia de Barcelona, ​​Eloi Badia, em entrevista à televisão municipal Betevé. “A ponte aérea tem uma alternativa ferroviária que não emite emissões”, pelo que, acrescentou, “não é necessário emitir CO2”.

Badia reconheceu que este plano “não é uma competência exclusiva” do município, ​​que planeia decretar a emergência climática na cidade em meados de Janeiro e, portanto, pede a “cumplicidade” dos governos nacional e regional na demanda. “Todos temos que contribuir para a redução de emissões”, disse.

Eloi Badia explicou que, uma vez declarada a emergência climática, a Câmara Municipal trabalhará também para reduzir as emissões em outras áreas, como a alimentar, resíduos e transformação energética.

 

This article has 1 comment

  1. Será um bom exemplo a seguir. E Portugal o que pensará da “ponte aérea” Lisboa/Porto/Lisboa? Considerando o tempo gasto nos embarques/desembarques em dois aeroportos (não menos de 1/2 hora cada um, só com bagagem de cabine na cabine, mais a deslocação do aeroporto Sá Carneiro ao centro do Porto(tempo e custos), mais tempo de descolagem, viagem e aterragem, talvez o Alfa Pendular ganhe…