Os serviços de shortsea que ligam Barcelona a Itália e ao Norte de África transportaram 1 059 285 UTI nos últimos dez anos, o que significa mais de um milhão de camiões retirado às estradas naquele período.

Barcelona - Grimaldi

Daquele volume, 98% teve como origem ou destino Itália e os restantes 2% o Norte de África.

Barcelona teve a primeira linha de carga e passageiros de shortsea em 1998, quando um navio da Grand Navi Veloci iniciou a ligação entre a cidade catalã e Génova. A oferta de capacidade era então de 3663 UTI, volume que subiu para 111 080 UTI, distribuídos por nove linhas, em 2014.

No presente, o porto catalão tem ligações diárias com Itália, com destaque para Génova, Civitavecchia (Roma), Livorno, Savona e Porto Torres (Sardenha). Barcelona tem ainda serviços regulares para Marrocos (Tanger) e Tunísia, além de ligações sazonais à Argélia (Argel e Mostaganem).

Os serviços são operados pela Grimaldi Lines, Grandi Navi Veloci, Cotunav e Suardiaz.

O porto de Barcelona tem em curso investimentos de 2,5 milhões de euros no terminal ferroviário do Molher Costa, e de 20 milhões de euros no Grimaldi Terminal Barcelona.

O porto da cidade condal será o anfitrião da European Short Sea Conference de 2016, que pela primeira vez se realizará em Espanha. Também no próximo ano será assinalado o décimo aniversário da Escola Europeia de Short Sea Shipping (2E3S).

Comments are closed.