O grupo Barraqueiro não está interessado em gerir o Metro do Porto para lá de 31 de Março, quando termina a extensão do contrato de subconcessão.

Em comunicado, o líder do consórcio que gere o metropolitano da Invicta desde 2010 sublinha que “por não ter interesse em continuar na gestão do Metro do Porto não concorreu” à subconcessão lançada pelo Governo, e que aceitou prolongar o contrato até ao final de Março “exclusivamente pelo espírito de cooperação e de responsabilidade que sempre nortearam a sua conduta”, “sem qualquer vantagem remuneratória”.

Depois de sublinhar que “é completamente alheia ao presente concurso e a todas as suas vicissitudes”, a empresa diz esperar que “o novo subconcessionário possa estar em condições de iniciar a prestação do serviço a partir do próximo dia 1 de Abril”.

O concurso para a subconcessão do Metro do Porto (e da STCP) foi lançado em Agosto do ano passado. O processo sofreu várias vicissitudes e atraiu apenas um concorrente, o consórcio catalão TMB/Moventis.

A pouco mais de um mês do arranque previsto da nova subconcessão o contrato ainda não foi assinado e subsistem dúvidas sobre a legalidade de alguns procedimentos.

 

Comments are closed.