Humberto Pedrosa assume que gostaria de integrar a presença nacional na TAP mas não comenta a alegada parceria com a brasileira Azul para a privatização de companhia.

humberto_pedrosa_Barraqueiro

A notícia é avançada hoje pelo “DE”. O Grupo Barraqueiro terá unido forças com o empresário norte-americano David Neeleman, que detém a Azul, para se apresentarem amanhã à privatização da 66% da TAP.

Citando fontes conhecedoras do processo, o “DE” avança que o consórcio, que integrará também outros grupos empresariais e capitais de risco, terá reunido entre 300 e 350 milhões de euros para capitalizar a operadora nacional.

Contactado, Humberto Pedrosa não confirmou nem desmentiu a parceria mas sempre vincou que “A TAP é uma empresa que merece todo o carinho, era importante que houvesse uma presença nacional [entre os compradores] e gostaríamos de fazer parte dessa presença nacional”.

O facto de a operadora ter sido abalada pela recente greve de dez dias dos pilotos não será um factor dissuasor do interesse da Barraqueiro. “Não estamos habituados a perturbações, mas já pegamos em muitas empresas que tinham perturbações, mas deixaram de ter”, disse Humberto Pedrosa.

O Grupo Barraqueiro foi inicialmente apontado como parceiro de Miguel Pais do Amaral na “corrida” à TAP. Já a brasileira Azul foi desde a primeira hora tida como interessada (tal como a Gol) mas chegou a desmentir tal interesse.

Nascido e criado no sector do transporte rodoviário de passageiros, o Grupo Barraqueiro alargou-se entretanto ao transporte ferroviário e mais recentemente olha com interesse para o transporte aéreo: integrou um dos consórcios que estou a privatização da ANA, e é candidato às licenças de handling aeroportuário ainda em concurso.

Comments are closed.