O Grupo Barraqueiro está a testar um autocarro eléctrico da Alstom na Linha Azul dos Transportes Urbanos de Torres Vedras (TUT).

Os testes do autocarro eléctrico, em condições reais de operação, decorrem até à próxima segunda-feira e juntam o Grupo Barraqueiro, o município de Torres Vedras e a construtora francesa.

Os testes permitirão uma comparação directa com ensaios realizados com outros modelos, inserindo-se no trabalho desenvolvido pelo Município em torno da mobilidade sustentável. “O Município de Torres Vedras tem vindo a apresentar um conjunto de acções relacionadas com o Plano de Acção de Mobilidade Urbana Sustentável (PAMUS) e isto acaba por ser complementar” afirmou Hugo Lucas, vereador da Mobilidade, Transportes e Trânsito da Câmara Municipal de Torres Vedras, na apresentação do veículo.

Já para o Grupo Barraqueiro, estes testes juntam-se a outros e à experiência acumulada na utilização de soluções de mobilidade sustentável, poermitindo-lhe “propor, para cada realidade, a melhor solução de mobilidade de acordo com as exigências do processo de contratualização das redes públicas de transporte de passageiros”, sublinhou Laurinda Martins, directora operacional do Grupo Barraqueiro.

Inspirado nos Citadis

O autocarro eléctrico em testes é o Aptis, da Alstom, inspirado nos metros ligeiros Citadis da marca. E daí o piso rebaixado em todo veículo, as amplas superfícies vidradas e também a disponibilidade de até três portas duplas de cada lado para entrada/saída dos passageiros.

Trata-se de um autocarro com 12 metros de comprimento e uma lotação de 95 lugares. O Aptis pode atingir uma velocidade de 70 km/hora e tem uma autonomia de 200 km.

As baterias eléctricas estão instaladas sobre o veículo. Podem ser recarregadas durante a noite, na estação de recolha, através de carregamentos rápidos de cinco minutos no final de cada circulação, ou mesmo de forma  “oportunística” a cada paragem – uma solução que está a ser testada também em Torres Vedras.

O autocarro eléctrico da Alstom distingue-se ainda pelas quatro rodas direccionais que agilizam a circulação em meio urbano. Por exemplo, precisa de menos espaço nas curvas e nas paragens.

Finalmente, e em linha com os Citadis em que se inspira, o Aptis tem uma vida útil expectável de 20 anos.

This article has 1 comment

  1. Precisamos que a Fertagus da Barraqueiro ligue totalmente o comboio da ponte 25 de abril de Setúbal até ao Oriente !