Bélgica, Holanda e Luxemburgo arrancaram com um teste conjunto à carta de porte electrónica (e-CMR).

Trata-se da primeira vez que esta digitalização ocorre no transporte rodoviário de mercadorias entre os três países em conjunto, mas a Holanda e o Luxemburgo já haviam feito experiências à escala nacional.

A mudança para o e-CMR no Benelux garantirá uma economia estimada em cerca de 4,5 euros por cada remessa, que, feitas as contas aos cerca de 65 milhões de envios anuais, corresponderá a cerca de 300 milhões de euros por ano.

Os três países partilharão os resultados com a União Europeia para obter uma maior aceitação do protocolo do e-CMR com a ratificação de países como Alemanha, Itália e Áustria.

Entre as vantagens apontadas à carta de porte electrónica, a IRU realça a redução dos papéis, os custos de manipulação três a quatro vezes mais baixos, a facturação mais rápida e um maior controlo dos envios e recepções.

 

 

Tags:

Comments are closed.