A frota mundial de navios porta-contentores vai ultrapassar a barreira dos 20 milhões de TEU já em Junho, prevê a BIMCO.
CSCL Globe am 13.1.2015 auf Jungfernreise in Hamburg

Depois de ter chegado ao final de 2015 na casa dos 19,7 milhões de TEU, a frota mundial deverá ter, em 2016, o crescimento mais baixo de sempre (3,4%), com um acrescento líquido de 680 mil TEU, mas que será suficiente para que o marco de 20 milhões de TEU seja atingido já no próximo mês.

Ao longo da última década, a frota mundial de porta-contentores cresceu a uma média anual de 9% em termos de capacidade (3,7% em navios). Os ULCS (mais de 12 000 TEU) tiveram um contributo determinante para esse crescimento. Em 2007, representavam apenas 0,5% da capacidade mundial (em TEU), e agora valem 18%, tendo crescido a um ritmo de 45% nos últimos cinco anos.

No entanto, sublinha a BIMCO, o segmento dos pós-panamax (8 000-12 000 TEU) continua a ser o mais “popular” na indústria, representando cerca de um quarto da frota mundial.

Alphaliner conta 20,2 milhões de TEU

Para a Alphaliner, a frota mundial de navios porta-contentores já ultrapassou há muito (no ano passado) a fasquia dos 20 milhões de TEU.

A consultora baseada em Paris calcula que estejam activos 5 175 navios porta-contentores celulares com uma capacidade agregada de 20,16 milhões de TEU.

A Maersk lidera o ranking mundial, com uma quota de mercado (em capacidade) de 14,9%. A MSC é segunda com 13% e a CMA CGM terceira com 8,7%. Completam o top five a Cosco, com 7,5%, e a Evergreen, com 4,6%.

Em termos de encomendas de novos navios, a Cosco é agora a líder (fruto da fusão com a CSCL), com 560 888 TEU (35 navios), à frente da MSC com 520 362 (38), da Maersk com 387 150 (29) e da Evergreen com 381 416. A CMA CGM é quinta com 22 424 TEU (20 navios).

 

 

 

Os comentários estão encerrados.