A Boeing e a Embraer estão a negociar a criação de uma empresa que assumirá a produção de aeronaves para a aviação comercial da companhia brasileira e onde a companhia norte-americana deterá 51%.

A notícia foi avançada pelo colunista do “Globo” Lauro Jardim.  As duas partes não comentaram tal possibilidade.

Há algumas semanas, o governo brasileiro recusou a hipótese de compra da Embraer pela Boeing, alegando questões de segurança, que impedem que uma companhia estrangeira controle a sua unidade de defesa.

No seguimento, foi avançada esta opção de criação de uma terceira companhia, apenas dedicada à produção de jactos comerciais, excluindo, assim, o negócio de defesa da Embraer.

De acordo com o brasileiro “Valor Económico”, a primeira proposta da Boeing era deter 80% a 90% da nova companhia. Agora, o “Globo” avança com uma posição de 51% para os norte-americanos.

A Embraer é líder no seu segmento de mercado. Com a compra, a Boeing ficará em posição de concorrer com a Bombardier, parceira da rival Airbus.

 

 

 

 

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.