A Boeing anunciou a suspensão dos vôos de teste do novo 737 MAX devido a problemas nos motores do avião de pequeno curso. O construtor garante, porém, o que o plano de entregas, previstas já a partir da próxima semana, se mantém.

Boeing 737 MAX

A companhia sediada em Chicago assegura que a suspensão se trata de uma mera precaução e que está a analisar o alcance da falha técnica, que, no momento, afecta cerca de 30 motores.

O primeiro vôo de teste do B737 MAX foi realizado no final de Janeiro de 2016. A primeira companhia aérea a receber a última geração de B737 será a indonésia Air Malindo Air.

Os motores para o B737 MAX estão a ser desenvolvidos pela General Electric, através de uma joint-venture com a francesa Safran. As duas companhias têm contrato para fornecer à Boeing 7 400 motores para o B737 MAX, o que equivale 3 700 aeronaves.

O B737 MAX, com capacidade para entre 140 e 220 passageiros, incorpora tecnologia do B787 Dreamliner. O seu principal concorrente é o Airbus A320neo. Ambos usam novos motores mais eficientes, que reduzem o consumo de combustível e as emissões.

Tags:

Comments are closed.