O Terminal Marítimo de Guadalquivir, detido em 75% pelo grupo Boluda e em 25% pela OPDR, é a única entidade candidata à concessão do terminal de contentores da Dársena del Batán, do porto de Sevilha.

Porto de Sevilha

O conselho de administração do porto de Sevilha reúne-se no próximo dia 28, para decidir se Boluda e OPDR ganham o concurso ou se a concessão fica por atribuir, como ocorreu no primeiro concurso.

A actual concessão, detida pela UTE Batán, termina este mês.

Este novo concurso para a concessão foi lançado em Fevereiro passado.  Tem como novidade o facto de reunir todas as instalações relacionadas com a movimentação de carga contentorizada. A área total a concessionar ascende, assim, a 180 420 metros quadrados e inclui o terminal ferroviário do Cais do Centenário, uma frente de cais de 350 metros e e a rampa ro-ro.

A Dársena del Batán concentra no Molhe Norte a movimentação de mercadorias como cereais, adubos, fertilizantes e, entre outras, sucatas. Já no Cais do Centenário está centralizada a operação de contentores.

Em 2015, o porto de Sevilha movimentou 161 671 TEU, com 1,25 milhões de toneladas de carga contentorizada. A carga rodada cresceu 18%, superando as 18 500 unidades de transporte. Sevilha é líder em Espanha nos tráfegos com as Canárias.

Comments are closed.