A espanhola Renfe excluiu a Bombardier do concurso público para o fornecimento e manutenção de até 30 comboios de Alta Velocidade por um período de 40 anos, avança o “Expánsion”.

Bombardier Zephiro

“A Bombardier excluiu-se a si própria, já que, ao mesmo tempo que apresentou a proposta se negou a reconhecer a validade do caderno de encargos, uma condição ‘sine qua non’ para participar no concurso”, referem fontes da Renfe, citados pelo jornal espanhol. A companhia sediada no Canadá apresentou-se a concurso com o comboio Zefiro.

A companhia canadiana foi sempre muito crítica dos termos do concursos, desde logo pelas condições técnicas e económicas impostas. Nomeadamente, a exigência de ausência de avarias em períodos de 800 mil quilómetros aumentará os custos para o contribuinte espanhol, garantem desde o construtor.

Em Julho, a Renfe foi forçada pelo Tribunal Administrativo de Recursos Contratuais (TARC) a anular a cláusula que valorizava a produção dos comboios em Espanha, tendo relançado o concurso.

Com a saída de cena do grupo canadiano, restam quatro companhias a concurso: Talgo, CAF, Alstom e Siemens.

O objectivo da Renfe é anunciar o vencedor ainda em 2016. O facto do país vizinho ter um governo interino não deverá ser disso impeditivo.

 » Cinco disputam contrato de 2,6 mil milhões da Renfe

 

 

Comments are closed.