O governo brasileiro pondera privatizar parcialmente a gestora pública das infra-estruturas aeroportuárias do país, Infraero.

Infraero

A notícia foi avançada por um portal noticioso da rede “Globo” e confirmada pelo próprio ministro dos transportes.

Maurício Quintella mostrou-se favorável a uma “aproximação da Infrarero ao sector privado”, mas disse que uma decisão está ainda dependente da conclusão de estudos que estão a ser feitos.

Nomeadamente, ainda não está decidido se o Estado alienará a maioria da empresa, ou apenas uma participação minoritária, e em qualquer dos casos de que dimensão. Do mesmo modo que não se sabe se a venda será feita em Bolsa ou através da colocação directa junto de investidores – ainda que esta pareça ser a opção preferida.

A Infraero gere uns 70 aeroportos no Brasil, o que implica um dispêndio de uns 2 300 milhões de reais (cerca de 590 milhões de euros) anuais.

O governo brasileiro já privatizou a gestão dos maiores aeroportos do país, nomeadamente em São Paulo e Rio de Janeiro, mas o modelo seguido implica que a Infraero continua a participar nas novas entidades gestoras.

O governo de Michel Temer aposta num agressivo plano de privatizações – de infra-estruturas de transportes mas não só – para reduzir a despesa pública e atrair investimentos.

 

 

Os comentários estão encerrados.