A Comissão Europeia já tem um plano para ligar directamente os portos da Irlanda ao Continente, sem passar pela Grã-Bretanha, após o Brexit.

CE tem plano para ligar directamente a Irlanda ao Continente

A proposta da Comissão para um eventual “hard” Brexit (saída da Grã-Bretanha da União Europeia sem acordo com Bruxelas) prevê a criação de novas rotas marítimas directas entre a Irlanda (Dublin e Cork) e os portos de Roterdão (Holanda), Antuérpia e Zeebrugge (Bélgica).

“Isto é para garantir a conectividade da Irlanda com a restante Europa, em particular garantindo clareza e continuidade no que diz respeito às futuras prioridades para o desenvolvimento de infra-estruturas e investimentos”, afirmou a propósito um porta-voz da Comissão Europeia.

A serem implementadas, as novas rotas ligarão directamente a Irlanda ao Corredor Mar do Norte-Mediterrâneo, retirando das estradas britânicas mercadorias no valor de milhares de milhões de euros.

Portos franceses afastados

Os portos franceses foram considerados pela Comissão mas descartados, apesar de alguns, como Roscoff e Cherbourg, serem mais próximos da Irlanda.

A decisão não agradou aos gauleses, que pedem, por isso, a intervenção do governo de Paris junto do Executivo comunitário.

Além da perda de um potencial de negócio assinalável, os portos do Norte de França temem que os seus concorrentes holandês e belgas concentrem os apoios disponíveis no próximo CEF (Mecanismo Conectar a Europa) para aumentarem a capacidade instalada antes do arranque das novas ligações.

 

 

 

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*