Oito operadores do Reino Unido inscreveram-se numa base de compras do governo para o transporte de bens críticos, no caso de um Brexit sem acordo.

Air Charter Services, Brittany Ferries, DFDS, Eurotunnel, Irish Ferries, P&O Ferries, Seatruck e Stena Line são as companhias que aderiram à rede, o que lhes permitirá licitar contratos de transporte marítimo de mercadorias.

“Faremos o que for necessário para garantir o fluxo de medicamentos imprescindíveis para o Reino Unido”, disse, citado pela comunicação social britânica, o secretário de Estado dos Transportes, Grant Shapps.

“Este quadro garante a resiliência nacional a longo prazo e estou confiante de que a qualidade e experiência dessas companhias serão garantia de que estamos prontos para o dia do Brexit e além”.

O Departamento de Transportes (DfT) elogia a opção anunciada. “Ao contratar companhias, o governo garantiu um processo de compras muito mais rápido e eficiente para os próximos quatro anos”, indicam desde o organismo, que salienta que esta solução não “gasta dinheiro dos contribuintes”.

O DfT observa ainda que os planos das companhias terão de evitar portos e terminais considerados susceptíveis de serem interrompidos se o Reino Unido deixar a UE sem um acordo no final de Outubro. Portanto, os terminais de carga de Dover, Calais, Dunquerque, Boulogne, Folkestone, Coquelles e Barking não serão incluídos nos planos.

 

 

Tags:

Comments are closed.