A Comissão Europeia aceitou adiar até 2015 o prazo para a conclusão das linhas de Alta Velocidade entre Portugal e Espanha.

Bruxelas publicou hoje um relatório onde faz o ponto da situação dos 92 projectos da Rede Transeuropeia de Transportes, com destaque para os 30 considerados prioritários. Em termos globais, ficou assim a saber-se que 48 dos investimentos ficarão concluídos até 2013, tal como previsto, enquanto outros 29 precisarão de mais dois anos para ficar operacionais.

Entre estes últimos contam-se a linha Porto-Vigo e a Terceira Travessia do Tejo, que integrará a linha Lisboa-Madrid. No primeiro caso estão em causa 244 milhões de euros de financiamento comunitário, e no segundo 51 milhões. Isto se não avançar a intenção do Governo de concentrar na TTT os financiamentos comunitários concedidos para o projectode Alta Velocidade.

O relatório de Bruxelas assume que dos 92 projectos da RTE-T haverá 15 que estão muito atrasados, e que por isso deverão perder o financiamento comunitário. Serão 300 milhões de euros que poderão ser redistribuídos por outros eixo para ajudar à sua concretização em tempo.

De resto, o comunicado emitido a propósito deixa claro que “em caso de novos atrasos na execução dos projectos, será aplicado o mesmo rigor orçamental; as actividades que se prolonguem para além de 2015 serão objecto de cortes”.

Comments are closed.