A Comissão Europeia admite intervir na fronteira de Biriatou-Irún caso se mantenham os engarrafamentos e os atrasos do lado francês.

Em carta enviada ao Comité Nacional de Transporte por Estrada (CNTC) espanhol, a Comissária europeia dos Transportes, Violeta Bulc, confirmou que Bruxelas vai monitorizar a situação de colapso em Biriatou para controlar “qualquer acção que possa ser obstáculo à livre circulação de mercadorias, que é o princípio básico dos Tratados da União”.

Bulc garantiu, na missiva, estar totalmente “consciente do prejuízo económico e social que este congestionamento pode causar a carregadores, transportadores e economia em geral”, pelo que Bruxelas não hesitará “em tomar medidas quando a acção se justifique”.

O Ministério do Fomento espanhol já interveio junto das autoridades francesas a solicitar a resolução de um conflito que afecta os mais de 11 mil camiões, entre os quais muitos com origem ou destino a Portugal, que atravessam aquela fronteira todos os dias.

Desde a espanhola Fenadismer acrescentam que, em todo o caso, a Vinci – a concessionária francesa da auto-estrada AP-8 – comprometeu-se com o governo francês a “abrir todas as cabines de portagens e a terceira faixa em cada sentido entre Biriatou e Biarritz, ao serviço desde 19 de Junho.

A federação de transportadores observa que essas medidas “estão a ajudar a melhorar a situação na fronteira de Irún”, verificando-se “uma diminuição significativa nas retenções diárias que vinham afectando os camiões que pretendiam passar a fronteira”.

 

Comments are closed.