O aeroporto internacional da Praia, Cabo Verde, duplicará a capacidade de processamento de passageiros e de bagagem dentro de dois anos. A portuguesa Armando Cunha ampliará a placa de estacionamento.

Cabo Verde - Aeroporto de Praia

O aeroporto da capital cabo-verdiana poderá então processar 800 mil passageiros/ano, “com conforto e qualidade de serviços”, adiantou à “Lusa” a ministra das Infra-estruturas e da Economia Marítima, Sara Lopes.

A ampliação da placa de estacionamento (de cinco para nove posições), orçada em 2,26 milhões de euros, será realizada pela empresa portuguesa Armando Cunha, que também construiu, de raiz, o aeroporto internacional de São Vicente, entre 2005 e 2008, e procedeu à ampliação do aeródromo do Maio.

Para mais tarde, dependendo da evolução do tráfego, ficará a extensão da pista, actualmente com 2 100 metros, em mais 500 metros para permitir a operação de aviões de maiores dimensões.

O investimento de 3 000 milhões de escudos (27,2 milhões de euros) é financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento.

A primeira pedra das obras foi lançada esta semana pelo primeiro ministro cabo-verdiano, José Maria Neves.

 

Comments are closed.