Cabo Verde não tem interesse em participar no capital da TACV Internacional, e não haverá aumento de impostos para pagar a dívida da empresa, de 12 mil milhões de escudos (109 milhões de euros) , o equivalente a “cerca de 9 a 10% do PIB”, garantiu o ministro das Finanças do país.

TACV

Olavo Correia falava, ontem, aos jornalistas no final da reunião entre o governo e o Grupo de Apoio Orçamental (GAO), onde a situação da companhia foi um dos temas, com os representantes do GAO a recomendarem uma solução rápida para o problema da transportadora aérea.

O governo de Cabo Verde pretende privatizar a TACV, para o que estará a negociar com potenciais investidores, desde logo companhias aéreas internacionais.

No entretanto, o Executivo da Praia acordou com a Binter a realização das ligações inter-ilhas (em substituição da TACV), ficando o Estado com 49% da companhia, posição que também deverá ser alienada a seu tempo.

Entretanto,  o presidente da açoriana SATA deu conta da disponibilidade para estudar uma parceria com Cabo Verde nas ligações internacionais. A Azores Airlines (Grupo SATA) iniciou há dias voos entre Cabo Verde e os Açores, com extensão aos EUA e Europa.

O Banco Mundial suspendeu a ajuda a Cabo Verde até que o governo apresente. O GAO  integra o Banco Africano de Desenvolvimento, Banco Mundial, Luxemburgo, Portugal e União Europeia.

Tags:

Comments are closed.