As operações de contentores no porto de Cádiz serão transferidas para o novo terminal, a partir de 2020, anunciou o presidente da autoridade portuária local. A Concasa, única candidata à concessão, foi nomeada para construir e explorar o terminal.

Terminal de contentores de Cádiz

 

Blanco Romero notou, todavia, que do lado da autoridade portuária ainda haverá que concluir a construção do Posto de Inspecção de Fronteiras (PIF), cuja obra já foi adjudicada e tem mais de um ano de execução. Por realizar estão a pavimentação do terrapleno do terminal (orçada em cerca de quatro milhões de euros) e o acesso ferroviário (cerca de sete milhões de euros). Estas duas últimas obras estão previstas para 2019. Pendente está ainda a conclusão do acesso em túnel.

A Concasa, concessionária do actual terminal de contentores de Cádiz, no Molhe Raínha Sofia, foi a única candidata ao segundo concurso lançado pela autoridade portuária para a concessão do novo terminal.

O novo terminal arrancará com uma área de concessão de 45 mil metros quadrados. A concessionária prevê investir ali cerca de 600 mil euros num prazo de quatro meses (investiu recentemente três milhões de euros num pórtico pós-Panamax) e compromete-se a movimentar 58 mil TEU  de import/export no primeiro ano e superar os 63 mil no quinto exercício.

O prazo da concessão é de apenas dez anos (no primeiro concurso era de 35), prorrogável por mais cinco, sendo que cada 500 mil euros de investimento da concessionária valerão mais um ano.

O novo terminal de contentores de Cádiz já implicou um investimento de cerca de 120 milhões de euros.

 

 

 

 

 

Comments are closed.