O comboio deverá chegar ao Luena em Julho. Falta reabilitar 200 quilómetros da linha dos Caminhos-de-Ferro de Benguela, em Angola.

“Depois de ultrapassados os trabalhos no Cuíto e Munhango, a prioridade máxima é alcançar o Luena, para posteriormente se trabalhar com intensidade para se chegar à fronteira”, disse, no Lobito, o ministro dos Transportes de Angola, citado pelo “Jornal de Angola”.

A recuperação da via está a ser feia pela empresa chinesa China Railway 20 Bureau Group Corporation (CR-20). Segundo os seus responsáveis, os comboios poderão começar a circular em Julho próximo. Neste momento já estão reabilitados mais de 948 quilómetros, de um total de 1 343.

Os trabalhos implicaram a colocação de 817 quilómetros de carris e a construção de 22 pontes e de 64 estações e apeadeiros.

Mil milhões de dólares é o custo estimado do projecto, financiado pela R.P. China.

Segundo o ministro dos Transportes angolano, ainda este mês deverão começar a chegar ao país centenas de carruagens, e posteriormente vagões e locomotivas para os caminhos-de-ferro de Benguela, Luanda e Namibe.

Assim esteja concluída a reabilitação da rede ferroviária, o governo angolano pretende concessionar a privados a operação das diversas linhas. No caso dos Caminhos-de-Ferro de Benguela haverá já vários interessados, nomeadamente da República Democrática do Congo e da Zâmbia.

Comments are closed.