A Autoridade do Canal do Panamá decidiu adiar, de Julho para Outubro, a primeira fase dos aumentos das taxas de passagem anunciados em Abril passado.

A segunda fase de aumentos foi igualmente adiada e acontecerá agora apenas em Outubro do próximo ano.

Ao mesmo tempo, a Autoridade do Canal do Panamá, confrontada com as críticas de diversos operadores e seus representantes, decidiu abrir um novo processo de consultas públicas sobre uma proposta revista de tarifário. O novo prazo é, no entanto, de apenas 15 dias.

Na prática, a proposta prevê o aumento dos direitos de passagem para todos os tipos de navios, à excepção dos porta-contentores celulares, navios reefer e de passageiros.

O número de segmentos em que os navios são divididos, para efeitos de cobrança das portagens, aumentará de oito para dez, mesmo se a Autoridade do Canal do Panamá deixou cair a proposta de criação de uma nova categoria de navios contentores/multipurpose, mantendo-os na categoria de “outros”. Mas o segmento dos navios-tanque é dividido em três.

Alberto Aleman Zubieta, administrador do Canal do Panamá, lembra que a Autoridade é a única a organização no mundo do shipping a consultar os clientes e outras partes interessadas antes de mexer nos preços. E justifica as mexidas propostas com a necessidade de adequar os preços às mais-valias geradas pela passagem.

As receitas adicionais visam financiar as obras em curso de alargamento do canal.

Os comentários estão encerrados.