No último ano (fiscal) antes da expansão, o Canal do Panamá registou um recorde de movimentação de cargas, superando o máximo de 2012.

Canal do Panamá

No ano fiscal terminado a 30 de Setembro, o Canal do Panamá registou 340,8 milhões de toneladas de canal (PC/UMS, uma medida usada para medir a tonelagem que passa no canal). Aquele valor constitui o anterior melhor ano fiscal, que foi 2012, quando se registaram 333,7 milhões de PC/UMS.

Os dados da Autoridade do Canal do Panamá (ACP) indicam que os contentores foram a carga que mais contribuiu para a tonelagem registada em 2015. Seguiram-se-lhe os granéis sólidos, granéis líquidos e os automóveis.

Os granéis líquidos foram o segmento que mais cresceu – 23% ou 11,9 milhões de PC/UMS – devido ao crescimento das exportações de gasóleo, gasolina e gás propano das empresas americana do Golfo do México para a América do Sul e para a Ásia.

Já a carga contentorizada cresceu 3,7% face ao período homólogo. Além disso, o segmento de navios “car carriers” aumentou 5,2%, em resultado do aumento das exportações da Costa Oeste do México para a Costa Leste dos Estados Unidos.

“O Canal do Panamá trabalha de forma contínua para oferecer aos clientes um serviço fiável e de qualidade em resposta às necessidades sempre em evolução do transporte marítimo”, afirma, citado pela assessoria de imprensa, o CEO da ACP, Jorge Quijano. “Este marco comprova este compromisso, que continuará a crescer após a inauguração do Canal expandido”, acrescenta.

Comments are closed.