O tráfego de mercadorias através do Canal do Panamá no primeiro trimestre do ano fiscal superou o previsto em quatro milhões de toneladas.

A Autoridade do Canal do Panamá está, por isso, confiante em alcançar o objectivo para o corrente ano fiscal, que é de 305 milhões de toneladas. No último ano atingiram-se os 300 milhões de toneladas.

A forte subida experimentada no primeiro trimestre (entre Outubro e Dezembro) é atribuída pela gestora do Canal à recuperação da indústria e ao aumento das exportações de cereais dos EUA.

Apesar das incertezas que ainda pairam sobre o futuro da economia mundial (e, logo, sobre o transporte marítimo), o Canal do Panamá vai mesmo avançar com um aumento das taxas de passagem, numa percentagem que pode chegar aos 12%, mas que os responsáveis consideram ir ter um reduzido impacte nos custos finais dos operadores.

Os aumentos das “portagens” visam também suportar o investimento na expansão do canal do Panamá. A crise que afectou o sector, e a pressão dos diferentes “lobbies” ditou, primeiro, o adiamento dos aumentos e, mais recentemente, alterações nos critérios de cobrança.

No último exercício fiscal as receitas da Autoridade do Canal do Panamá atingiram os dois mil milhões de dólares.

Os comentários estão encerrados.