O prazo para a apresentação das “propostas vinculativas melhoradas e finais” para a compra da CP Carga termina às 17 horas da próxima segunda-feira, dia 13.

CP Carga

Definitivamente, o Governo tem pressa em decidir a privatização da CP Carga e para isso não se coíbe de obrigar os candidatos a trabalharem durante o fim de semana. Um despacho da secretária de Estado do Tesouro hoje publicado em Diário da República determina que o prazo para a realização da fase de negociações com os candidatos se inicia hoje mesmo, e que a data limite para a apresentação das propostas melhoradas acaba segunda-feira, às 17 horas.

Foi ontem, quinta-feira, em Conselho de Ministros, que o Governo decidiu “apurar” para a fase de negociações directas três das quatro propostas apresentadas. Passaram à fase seguinte a Atena Equity Partners, a Cofihold e a MSC Rail. Ficou pelo caminho a Springwater.

Até ao momento, apenas a MSC Rail se remeteu ao silêncio total sobre o que se propõe fazer com a CP Carga. Por uma questão de princípio, foi dito ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS, e talvez também por ser a única empresa com actividade no sector.

A Equity Partners é uma capital de risco; a Cofihold é uma holding do gupo Cofina, que tem interesses no sector da pasta e papel (e, nessa condição, é cliente da CP Carga). A MSC Rail, por seu lado, é já um operador ferroviário certificado pelo IMT, é muito provavelmente o maior cliente da CP Carga nos fluxos de/para os portos, e há muito que vem fazendo o seu caminho (e conversando com o Governo a propósito) para ficar com a CP Carga ou criar uma alternativa.

O vencedor da privatização da CP Carga ficará com até 100% das acções da empresa, sendo que no imediato até 5% estão reservados aos trabalhadores da companhia.

O Governo quer decidir a venda ainda neste mês de Julho.

 

 » Springwater e Bavaria ficam pelo caminho

Comments are closed.