Em Agosto, a carga aérea internacional cresceu 19,6% em termos homólogos, mas perdeu 0,8% relativamente a Julho.

Tal como a IATA previa, o ritmo de crescimento da actividade da carga aérea tende a abrandar depois da forte subida experimentada nos primeiros meses do ano.

Em Agosto, o tráfego global de carga aérea internacional avançou 19,6%, mantendo-se 3% acima do nível anterior à crise, no início de 2008. O abrandamento do ritmo é justificado pela IATA com o reequilíbrio do mercado, do lado da procura, e também com a circunstância de a comparação ser agora feita com um mês em que já era também notória a recuperação da actividade.

No acumulado desde o início do ano, a carga aérea internacional progride ainda 26,6%.

O resultado global só não é melhor porque as companhias europeias continuam a “puxar para trás” os números com performances decepcionantes. Em Agosto ficaram-se por um crescimento homólogo de 9,6%, e desde Janeiro apenas acumulam uma subida de 12,3%.

Comparativamente, em Agosto a América do Norte avançou 25,7%, o Médio Oriente 24,3%, a América Latina 22,3% e a Ásia-Pacífico 22%. No year-to-date os resultados são ainda mais expressivos: 41% para a América Latina, 32% para a Ásia-Pacífico e para o Médio Oriente, 31% para a América do Norte.

A oferta de capacidade continua a evoluir bastante abaixo do aumento da procura, o que tem favorecido o reforço das taxas de ocupção.

A IATA, que divulgou estes dados, prevê agora que com o fim da reposição de stocks o ritmo de crescimento da actividade abrande bastante para se aproximar dos 6% que é suposto o comércio mundial avançar este ano.

Os comentários estão encerrados.