Até ao final de Novembro foram movimentadas no aeroporto do Porto 32 346 toneladas de carga, 10,7% mais que no período homólogo de 2009, informou a Direcção do “Sá Carneiro”.

Em Novembro, porém, a actividade no aeroporto nortenho regrediu 5,3%, em termos homólogos, para as 3 048 toneladas.

No último mês, a Star Air, que voa para a UPS, continuou a ser a companhia que mais carga movimentou no Porto, apesar de ter perdido 9% para as 773 toneladas. A puxar os resultados para terreno negativo esteve também a TAP, com uma quebra de 15,9% para as 424 toneladas.

A EAT, companhia da DHL, avançou 4,2% em Novembro, para as 738 toneladas, a Air France progrediu 4,6% até às 426 toneladas e a TNT Airways ganhou 6,8% para as 311 toneladas.

No acumulado desde Janeiro, a Star Air lidera o ranking das companhias aéreas no Porto, com 9124 toneladas (mais 15%). Mas é a Air France quem mais cresce: 38,1% até às 3 876 toneladas. A subir está também a TNT Airways (19,2% para as 2 961 toneladas) e a TAP (2,1% para as 4 618 toneladas).

A EAT é a única entre as principais operadoras em terreno negativo, com uma quebra de 5,6% até às 7 325 toneladas.

Os números valem o que valem e devem ser lidos com cuidado, uma vez que não correspondem necessariamente a cargas embarcadas em aviões, nem mesmo a mercadorias que passem efectivamente pelo aeroporto do Porto. Além disso, estas estatísticas não reflectem os acordos de partilha de capacidade. Um exemplo: os voos da EAT transportam cargas da Lufthansa Cargo a par das da DHL.

Nos passageiros, o aeroporto do Porto acumulou até ao final de Novembro um crescimento de 17,4%, contabilizando mais de 4,8 milhões. O número mágico dos cinco milhões foi ontem alcançado.

As companhias “low cost” representavam, no balanço de 11 meses, perto de 2,4 milhões de passageiros, um avanço de 39,3% relativamente ao período homólogo de 2009.

A TAP mantinha-se ainda como a primeira companhia, com perto de 1,6 milhões de passageiros (mais 3%). Mas a Ryanair distava já menos de 50 mil passageiros, com uma subida de 41%.

Já em Dezembro a Royal Air Maroc tornou-se a 12.ª companhia a operar no aeroporto nortenho.

Os comentários estão encerrados.