A MAIS – Madeira Air Integrated Solutions, responsável pelo cargueiro que voa diariamente entre Lisboa (e Porto) e o Funchal, anuncia para  depois de amanhã uma segunda saída da capital. Ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS, António Beirão, o mentor do projecto, insiste nas respostas adequadas às necessidades dos clientes.

MAIS

Depois de amanhã, dia 7, quinta-feira, o ATR 72-500 da MAIS ligará duas vezes o Continente à Madeira. A primeira partida acontecerá às 6 horas, como é do horário, o segundo voo sairá da Portela às 14 horas. Não se trata ainda da duplicação da oferta, mas sim da resposta às necessidades do mercado.

“Um dos factores que queremos verdadeiramente diferenciadores da MAIS é estarmos atentos às necessidades dos clientes e encontrarmos respostas adequadas. Não queremos impor soluções formatadas, mas sim, que as soluções que trazemos sejam a continuidade da resposta logística dos nossos clientes aos seus clientes”, afirmou ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS António Beirão, o líder do consórcio por detrás das operações do cargueiro.

Foram, precisamente, as “necessidades específicas de um cliente” a motivar, desde o final de Outubro, o alargamento da cobertura até ao Porto. Não levando  o avião até ao aeroporto nortenho, mas aproveitando a complementaridade rodoviária que a hora de saída de Lisboa permite.

“As cargas podem ser entregues pelos agentes directamente na Portway [no aeroporto Francisco Sá Carneiro]”, explicita o responsável, sendo que “o transporte para Lisboa tem o horário de saída pelas 21h30”. O que dá tempo para colocar as cargas a bordo do ATR antes da descolagem da Portela, às 6 da madrugada.

O envio das cargas à partida do Porto tem, naturalmente, “uma tabela própria”, mas António Beirão vai ao ponto de dizer que “nalguns casos é idêntica a praticada à saída de Lisboa”.

Lançado no final de Julho passado, o serviço da MAIS já mantém uma taxa de ocupação da capacidade “acima dos 75%” entre Lisboa e o Funchal. “Infelizmente à saída do Funchal estamos muito abaixo daquele volume”, concede o empresário, que todavia se diz confiante “no potencial dos empresários madeirenses que nos têm garantido o seu suporte”.

Certo é que desde o passado 14 de Novembro a oferta de capacidade foi aumentada com a substituição do aparelho que assegura as ligações. O novo ATR 72-500 é “idêntico em termos de volume, mas tem capacidade para transportar mais uma tonelada. Actualmente temos capacidade para transportar 7 500 kg em peso bruto e até 11 toneladas em peso taxável”.

Nos planos da MAIS estão acordos com outras companhias aéreas para estender o serviço de/para a Madeira até origens/destinos na Europa. E para mais tarde, quem sabe, replicar a experiência com os Açores.

 

Comments are closed.