Os utilizadores tradicionais do porto da Beira, empresas do Zimbabué, Zâmbia, Malawi e R.D. Congo, estão a desviar as cargas para outros portos na África do Sul e na Tanzânia, informou o “Notícias”, de Maputo.

De acordo com o matutino, as empresas daqueles países estão a enviar as suas cargas para Durban, na África do Sul, e Dar-es-Salam, na Tanzânia, por considerarem incomportáveis as garantias bancárias exigidas na declaração das importações, na sequência da introdução da Janela Única Electrónica, ocorrida no ano passado em Moçambique.

O “Notícias” escreve que a situação é grave, tendo tido como resultado o encerramento da maior parte dos serviços aduaneiros no porto da Beira, colocando no desemprego milhares de trabalhadores.

Além disso, o parque de contentores de importação está completamente saturado com a acumulação de 8 000 contentores, quando a capacidade normal é de 1 500.

Após anos em que foram realizados investimentos, a Cornelder de Moçambique, entidade gestora do porto da Beira, antecipava para este ano a movimentação de 200 mil contentores mas o desvio de cargas deverá fazer com que o recorde de 170 mil contentores alcançado em 2012 não seja este ano batido.

Comments are closed.