A Catalunha pretende alargar o conceito de zona de baixas emissões (ZBE), já previsto para Barcelona, a todas as maiores cidades da região.

O anúncio de mais ZBE foi feito pelo conselheiro (ministro regional) do Território e Sustentabilidade, Damià Calvet, para quem a proposta, “que não será só correctiva, mas preventiva”, será incluída na nova lei regional de protecção da atmosfera.

No contexto de uma emergência climática, Calvet insiste que “devem ser feitas mudanças estruturais, como as ZBE, que são acções climáticas para melhorar a qualidade de vida das pessoas”.

A zona de baixas emissões de Barcelona entrará em vigor de forma permanente em Janeiro de 2020 e permitirá, de acordo com a Câmara Municipal, retirar de circulação até 124 mil veículos que não possuam o rótulo ambiental da Direcção-Geral de Viação espanhola ou que não possuam uma autorização específica.

A área a abranger, note-se, atingirá os 95 km2, cerca de 20 vezes maior que a de Madrid Central, a “homóloga” da capital espanhola.

Durante a apresentação das regras do município da cidade condal para regular a ZBE permanente, o conselheiro da Sustentabilidade destacou que a Generalitat da Catalunha “acompanhará os municípios e a região metropolitana de Barcelona no processo de implementação da ZBE, facilitando a sua eficácia com mais e melhores transportes públicos, e na transição de frotas de transporte para veículos de emissões zero”.

Os  veículos contaminantes “apanhados” na ZBE catalã arriscam multam entre os 200 e os 1 800 euros.

 

Comments are closed.