O governo regional da Catalunha prepara para 2020 um imposto adicional sobre as emissões de CO2 dos veículos, no âmbito da lei (de 2017) para as mudanças climáticas.

O conselheiro (ministro regional) do Território e Sustentabilidade catalão, Damià Calvet considera que a taxa adicional sobre o CO2 será “uma ferramenta essencial para poder desenvolver melhores políticas ambientais perante a emergência climática”, sendo que as receitas obtidas serão, de acordo com a mesma fonte, aplicadas na melhoria dos transportes públicos e nos incentivos às frotas verdes.

O imposto terá cinco níveis graduais e aplicar-se-á a veículos com emissões de CO2 superiores a 95 g/km. No primeiro ano, os veículos com emissões entre 95 g/km e 120 g/km de CO2 estarão isentos. No segundo ano já terão de pagar, mas então já estarão disponíveis apoios à renovação das frotas com as verbas arrecadadas no primeiro ano, salientou o dirigente.

Damià Calvet assinalou ainda ser favorável a “descarbonizar actividades de portos e aeroportos em vez de limitá-las”. O governante regional catalão salientou, de resto, que a sua luta contra as alterações climáticas se materializa em três eixos: transição energética, economia circular e descarbonização da mobilidade.

Nesse contexto, Calvet destacou a nova linha do comboio urbano Rodalies, desde o centro de Barcelona até ao aeroporto de El Prat, gerido pelo operador público FGC.

 

 

 

Comments are closed.