Os brasileiros da CCR e os britânicos da GIP terão tomado de assalto a candidatura da Flughafen Zürich à privatização da ANA, apurada para a fase decisiva, ao contrário das suas.

De acordo com a imprensa económica de hoje, a gestora do aeroporto de Zurique terá cedido a maioria do consórcio candidato à ANA aos seus novos parceiros. A CCR terá ficado com uma participação de 51% e a Global Infrastructure Partners com 29%.

A CCR, recorde-se, concorreu inicialmente em parceria com a Odebrecht (depois de se ter rompido a parceria com a Brisa), mas a sua proposta não foi qualificada para a fase decisiva. E o mesmo aconteceu com a gestora dos aeropostos de London City e de Stansted. Ao invés, a gestora aeroportuária suíça não era uma das favoritas mas acabou por passar à fase seguinte.

A tomada de controlo do novo consórcio pela CCR terá seguramente a ver com a sua capacidade financeira, na sequência do financiamento garantido junto do estatal BNDES brasileiro.

Na corrida à ANA estão também a Corporación América (em parceria com a Sonae, a Auto Sueco e a Empark), a Vinci e a Fraport (com os australianos da IFM).

Ao que se sabe, as propostas de compra da ANA poderão ultrapassar os dois milhões de euros, sendo que o vencedor terá de pagar uns 600 milhões ainda este ano, para ajudar a controlar o défice. O Governo aposta em fechar o negócio até ao final de Dezembro.

Comments are closed.