A circulação dos mega-camiões, ou gigaliners, nas estradas europeias apenas depende da autorização das autoridades nacionais. E assim deverá continuar, defendeu o comissário europeu dos Transportes perante os eurodeputados.

Falando na comissão de Transportes do Parlamento Europeu, Siim Kallas sustentou que a questão – de autorizar ou não a circulação dos mega-camiões – é um exemplo perfeito da aplicação do princípio da subsidiariedade, que permite aos estados-membros legislarem de acordo com as circunstâncias locais.

O facto é que a utilização dos mega-camiões é pacífica nos países nórdicos, mas já não o é noutros estados-membros, reconheceu o também vice-presidente da Comissão Europeia.

Siim Kallas aproveitou ainda para esclarecer o entendimento da Comissão sobre o trânsito trans-fronteiriço dos mega-camiões. A questão foi recentemente levantada pela IRU, disse.

No entender dos serviços da Comissão, respondeu Siim Kallas, a Directiva 96/53 não proíbe o cruzamento das fronteiras pelos mega-camiões. Mas há condições a observar. E a primordial é que ambos os países aceitem a circulação desses veículos nos respectivos territórios nacionais.

O comissário europeu dos Transportes enfatizou que para Bruxelas não está em causa o anúncio de uma nova política sobre o assunto, mas tão-somente a clarificação, a interpretação da legislação existente.

Comments are closed.