A Portos e Caminhos-de-Ferroo de Moçambique (CFM) vai transportar milho entre os portos de Maputo e da Beira e o Zimbabué.

CFM Moçambique

O contrato, firmado pela companhia nacional ferroviária do Zimbabué (NRZ) e que envolve também a sul-africana Transnet Freight Rail, prevê o transporte diário de seis mil toneladas de milho, importado da América do Sul.

O ministro do Desenvolvimento da Agricultura, Mecanização e Irrigação do Zimbabué, Joseph Made, informou recentemente que o país precisará de importar 700 mil toneladas de milho, entre Maio próximo e a próxima colheita em 2017, a fim de evitar a fome decorrente da seca que está a afectar as plantações na maior parte da África Austral.

O director-geral da NRZ, Lewis Mukwada, disse ao “The Southern Times” que o milho será importado através dos portos de Maputo e da Beira, em Moçambique, e de outros na África do Sul.

Na sequência do anúncio por parte da Zâmbia da proibição de exportação de milho, o principal ingrediente da dieta alimentar dos povos da região, o Zimbabué e os países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral começaram a importar o cereal da América do Sul, principalmente do Brasil e da Argentina.

Tags:

Os comentários estão encerrados.