A COMAC apresentou em Xangai o C919, o primeiro avião de longo curso chinês com o qual pretende fazer concorrência ao Boeing B737 e ao Airbus A320.

COMAC C919

A COMAC, conglomerado estatal responsável pelo projecto, apresentou a primeira unidade montada para ensaios em terra. O primeiro voo de testes está previsto para 2016.

O modelo pode, consoante a configuração, transportar entre 158 e 174 passageiros, com uma autonomia de 4 075 a 5 555 quilómetros. O avião é de produção e design chinês, embora tenha alguns componentes com origem em outros países.

De acordo com os responsáveis pelo C919, o modelo já tem 517 encomendas de 21 companhias aéreas e locadoras de aviões chinesas e internacionais.

A COMAC acredita que o avião poderá entrar em serviço comercial três anos após os primeiros testes de voo, ou seja, entre 2019 e 2020.

Quando o projecto C919 surgiu, o objectivo era que pudesse voar a partir de 2015. A COMAC explica o atraso pela cautela no processo, pois, a longo prazo, pretende criar um nicho no mercado aeronáutico mundial com este aparelho de fuselagem estreita, um segmento que representa mais de metade dos aviões no activo em todo o planeta.

Comments are closed.