O estudo anual da Boeing para a China prevê que aquele mercado encomendará até 2034 um total de 6 330 aviões, avaliados em 950 mil milhões de dólares (825 mil milhões de euros).

Boeing-China

“Apesar da actual volatilidade dos mercados financeiros chineses, prevemos um forte crescimento no sector da aviação do país no longo prazo”, afirmou, na apresentação das previsões, o vice-presidente de marketing da Boeing Commercial Airplanes, Randy Tinseth.

O mesmo responsável acrescentou que a frota de aviões comerciais na China praticamente triplicará até 2034, aumentando dos 2 570 aparelhos de 2014 para 7 210, “com mais de 70% destas entregas a ajustarem-se ao crescimento”.

A nível global, a construtora norte-americana projecta que serão necessários 38 050 novos aviões até 2034, o que representará um potencial de negócios de 5,6 biliões de dólares (4,9 biliões de euros).

A China tenderá a afirmar-se como o primeiro mercado mundial da aviação civil, pelo desenvolvimento da classe média no país e pelo dinamismo das companhias tradicionais e das novas low cost.

A Boeing reclama a liderança no mercado aéreo chinês, sendo seus mais de metade dos aviões – de passageiros e de carga – em operação.

 

 

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.