A produção nacional de veículos comerciais caiu 21,3% em Agosto, e com isso os ganhos acumulados nos primeiros oito meses do ano foram reduzidos a zero.

Em Agosto, os construtores automóveis instalados em Portugal produziram 1 157 comerciais ligeiros (contra 1 398 há um ano) e 50 pesados (136). A produção de 2014 situa-se agora nos 29 659 ligeiros (mais 2,3% em termos homólogos) e em 1 868 pesados (menos 25,8%).

Com a fábrica da Toyota Caetano encerrada para férias, como é hábito, a quebra da produção verificada em Agosto foi “culpa” da PSA de Mangualde e do encerramento da VN Automóveis em Vendas Novas.

Em Mangualde, a PSA aumentou a produção de veículos Peugeot, de 464 para 534, mas reduziu a de Citroën, de 880 para 557. Em Vendas Novas, a inactividade contrastou com a produção de 42 ligeiros e 96 pesados de há um ano.

E assim, de pouco valeu a Mitsubishi do Tramagal ter aumentado a produção, de 12 para 66 ligeiros e de 40 para 50 pesados de mercadorias.

Em termos acumulados, nos comerciais ligeiros a PSA soma 15 354 Peugeot (mais 5,9%) e 12 594 Citroën (mais 0,4%), ao passo que a Mitsubisbi cai 20,8% para 801 veículos. A Toyota mantém-se nos 910 (mais 25,5%) e a Isuzu está a zeros. Nos pesados, a Mitsubishi conta 1 800 unidades (menos 3,4%) e a Toyota 68 (mais 44,7%).

Os comentários estão encerrados.