A CLdN está em vias de ter um terminal próprio em Santander. Em Leixões, continua a operar no Multiusos, para onde está previsto o novo terminal de contentores.

CLdN opera em Leixões no terminal multiusos

Pouco mais de dois anos depois de ter iniciado as operações em Santander (um arranque alavancado pelo serviço de Leixões) e menos de três meses após o lançamento do serviço directo para Roterdão, a CLdN pretende passar a dispor de um espaço próprio no porto espanhol.

A Autoridade Portuária de Santander anunciou ter recebido um pedido da CLdN para a concessão de uma área de 45 215 metros quadrados no denominado Espigón Central de Raos.

A CLdN pretende realizar ali as operações de recepção e expedição de carga geral ro-ro.

A pretensão da companhia luxemburguesa fica agora dependente do surgimento de eventuais pretensões concorrentes no prazo de um mês.

Por cá, em Leixões, onde a CLdN movimenta já cerca de um milhão de toneladas (garantindo com isso a liderança nacional no segmento ao porto nortenho), a companhia opera no terminal multiusos, um espaço cada vez mais exíguo, até pela utilização do recinto para o parqueamento de contentores.

Acresce que a área do terminal multiusos está destinada à implementação do tão falado terminal / cais de contentores de -14 metros, o que deixa em aberto a questão de como compatibilizar as operações num cenário de crescimento do mercado.

 

 

Comments are closed.