A CMA CGM anunciou uma sobretaxa e a revisão do BAF para compensar os sobrecustos da redução do teor de enxofre imposta pela IMO.

Em comunicado, a CMA CGM lembra o novo limite de 0,5% de teor de enxofre no combustível marítimo (face aos 3,5% actuais) decidido pela IMO para vigorar a partir de 1 de Janeiro do próximo ano, e garante que o cumprirá utilizando navios a GNL, navios com scrubers instalados e, maioritariamente, abastecendo os seus navios com fuel com menor teor de enxofre (VLSFO, na sigla em inglês).

A CMA CGM lembra também que o VLSFO é substancialmente mais caro que o HSFO (o combustível actual) e anuncia como se propõe compensar a diferença.

Assim, nos casos de contratos de curta duração (três meses ou menos), a companhia gaulesa aplicará uma sobretaxa mensal, que acrescerá às tarifas actualmente praticadas. A nova sobretaxa, a LSS, será efectiva já a partir de 1 de Dezembro.

Nos casos de contratos de mais de três meses de duração, o VLSFO substituirá o HSFO na fórmula de cálculo da BAF, a partir de 1 de Janeiro do próximo ano. A BAF, que acresce às tarifas normais, continuará a ser calculada trimestralmente e anunciada com um mês de antecedência. E será sempre mais cara 20%, ou pelo menos 25 dólares/TEU para os contentores reefer, face aos contentores dry.

 

 

Tags:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*